Arquivo da tag: #advento

Etimologia da Palavra Advento e sua História – “Especial de Natal”

Do Latim Adventus que siginifica chegada, vinda.

Uma palavra que contém um grande sentido para os Cristãos, pois é o período que corresponde às quatro semanas que antecedem ao Natal.  É um tempo de preparação, preparação para a chegada do Cristo, a vinda de Jesus ao mundo, a comemoração de seu nascimento.

Uma palavra que hoje significa a preparação para a vinda de Cristo. Mas houve um tempo que o advento tinha um outro significado. Em tempos antigos a palavra Advento representava a vinda, a chegada da divindade ao templo e era um período de muitas ofertas ritualísticas, solenidades e comemorações nas tradições nórdicas. 

É tempo de Natal! Uma época de cores predominantemente verde, vermelha e dourada. Diz-se que os cristãos sincretizaram suas tradições com as tradições nórdicas, que possuem muitas semelhanças com o nascimento de Jesus, o sol que veio a este mundo para trazer luz e esperança. Para compreendermos nossas tradições de Natal a história das tradições celtas, germânicas e escandinavas nos revelam a história de tantos símbolos que permeiam o nosso Natal.

Conta a tradição que os povos nórdicos cultuavam a passagem das estações do ano e adoravam os deuses da natureza. Cultuavam o Sol como um deus e justamente próximo ao Solstício de inverno, realizavam um período de festividades que chamavam de Yule, era um feriado solar, também chamado de sabbat, que se estendia de dezembro ao início de janeiro. Nesta época, eles comemoravam a chegada de Yule, o menino prometido, o filho do Sol.

Comemoravam o solstício de inverno, no dia 21 de dezembro de nosso calendário. Este era o dia que tinha a noite mais longo do ano, com mais horas de escuridão, era o dia que representava o ápice de um longo tempo de pouca luz que recobriu a terra. Este tempo de escuridão foi momento de interiorização e de reflexão. No ápice do inverno, nestes países as árvores todas perdiam suas folhas. Não havia mais folhas, somente seus galhos. Mas uma árvore permanecia vistosa, verde, viva e cheia de folhas, era o pinheiro. O pinheiro era a árvore da Deusa mãe, a árvore que traz o natal, a vida. O amor da Deusa era ofertado ao Deus Sol. Seus ramos eram ofertados em uma roda de folhas verdes com luzes, uma coroa, para agradar ao Deus do Sol, que se escondia durante as longas noites do inverno. Velas acesas simbolizavam o “fogo do deus sol”, um fogo vermelho, com a esperança de que a sua luz e o seu calor voltasse. 

A boa nova era que apesar de o solstício de inverno ser o dia com a noite mais longa do ano, o ápice de um grande inverno, era também um dia que prometia alegrias, pois a partir daquele dia a luz iria aos poucos chegar, o sol iria se aproximando cada vez mais da terra, com mais minutos de luz, o inverno começaria a ir embora, dando lugar à primavera. Era o começo de um período crescente de boa nova que ia do solstício do inverno ao equinócio de primavera.

Nesta noite de solstício de inverno a Deusa  também é reverenciada como a Mãe da Criança Prometida, que nasceria para trazer Luz ao mundo e a esperança.  A Deusa dá a luz ao filho, a criança do sol, cheio de vida, um bebê, Yule, com sua cor verde de vitalidade e renascimento. A criança do sol renasce, é a sua chegada. A deusa doa seu amor, e através do seu amor, tudo renasce. E acredita-se que a divindade permanecia no templo durante as celebrações.

A árvore do pinheiro é a força da Deusa mãe que gera o filho Yule representado pelo carvalho. O carvalho é a árvore de troncos fortes e firmes, ele renasce, vence o azevinho, o azevinho é a representação do deus das trevas e da escuridão. 

O Tempo do Advento, como conhecemos hoje recebeu novos significados entrelaçados com essas tradições nórdicas. É época de preparação para a festa da luz, quando Jesus veio ao mundo. A coroa do advento é esta roda de ramos e luzes que é acessa a cada domingo, representando vigilância, esperança, alegria e iluminação. O terceiro domingo do advento é o domingo da alegria que antecede a iluminação, o nascimento de cristo. 

No advento é possível se preparar caminhando do momento de reflexão, de renúncia, de penitência e de desprendimento, vigilância, para momentos de esperança, renovação, reconciliação, paz, solidariedade e plenos de alegria, inundados pela luz de cristo.

É tempo de purificação, de interiorização, de reflexões, de fazer uma limpeza na casa, na casa interior, renunciar a tudo aquilo que nos faz mal, nos desligarmos das impurezas mentais e sentimentais, das emoções negativas que cultivamos durante o ano.

A preparação para o natal é de conversão, de transformação, de perdão, de oração para sair da escuridão que nos impede de iluminar nossas mentes e corações. É tempo de  conexão com o amor. É o momento de união de amor que faz nascer o novo. 

Para poder renascer é preciso permitir que tudo o que é puro nos preencha. Se permitir inundar por grande luz divina. Deixar a criança luminosa, o sol interior renascer em nós. 

O Advento é tempo de celebração, de união, de estar junto, de confraternizar com família, de agradecer para realmente vivermos o verdadeiro sentido do natal.

O espírito do Natal está no ar, e você, já está se preparando, já está fazendo a faxina necessária?